"
Apoiado por

Narcisismo digital

Chama-se reflexão à capacidade de um programa se ver a si próprio. O ABAP tem uma série de capacidades reflexivas como o RTTS ou a capacidade de gerar código dinamicamente. Além disso há mais umas funções assim e assado que fazem isto e aquilo. Hoje apresento-vos uma delas:

GET_GLOBAL_SYMBOLS

Esta função devolve uma tabela interna com a lista de todas as variáveis utilizadas num determinado programa. Não podia ser mais simples de usar:


DATA: t_fieldlist TYPE STANDARD TABLE OF rfieldlist.

CALL FUNCTION 'GET_GLOBAL_SYMBOLS'
  EXPORTING
    program      = sy-repid
*   NAME_PATTERN = '*'
  TABLES
    fieldlist    = t_fieldlist.

Ao correr, a função popula a tabela interna T_FIELDLIST com 16 registos: 15 variáveis de sistema e a própria T_FIELDLIST. Houvessem mais variáveis declaradas no programa e mais registos lá apareceriam.

Obrigado Nuno Morais por me mostrares esta função.

E um obrigado muito especial ao Caravaggio por ter pintado o quadro que ilustra este texto (ao qual, ignomínia!, recortei um bocado em cima e em baixo para caber. Mas também… subtrair-lhe bocados não é maior crime do que reduzi-lo a 150×150 pixels. Enfim, aguente-se).

O Abapinho saúda-vos.

Deixe um comentário


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).