"
Apoiado por

Entrevista a Mauricio Roberto Cruz do ABAPZombie

Depois de o site irmão ABAPZombie (grande site brasileiro sobre ABAP) me ter entrevistado há uns meses atrás, aqui fica finalmente a minha vingança Zômbica. Entrevistar o Mauricio foi muito simples porque as perguntas que me fizeram são tão boas que resolvi virá-las contra o feiticeiro (Mauricio, espero que não leves a mal ter-tas usurpado!). As suas óptimas respostas ajudarão certamente os leitores portugueses a terem uma ideia de como funciona o mercado ABAP lá no Brasil:

1 – Primeiramente, diz-nos quem és tu e com que trabalhas.
Me chamo Mauricio Roberto Cruz, sou desenvolvedor ABAP Sênior, e trabalho com desenvolvimentos customs para clientes (o que a maioria dos ABAPs fazem), e com o desenvolvimento de produtos novos, não só em ABAP mas também em outras linguagens. Desde Dezembro de 2010 sou editor e um dos responsáveis pelo site do ABAPZombie, onde compartilho meus conhecimentos e reflexões deste mundo maluco e caótico dos desenvolvimentos relacionados a SAP, junto com mais 4 amigos.

2 – Há quanto tempo trabalhas com SAP? Como começaste nessa área?
Comecei a trabalhar com SAP em 2006, e consegui entrar no mercado através de uma velha conhecida do mercado: a Accenture. Fiz o processo seletivo quando estava na faculdade, passei por várias fases e consegui uma vaga como estagiário na área de ABAP. No início éramos uma turma de 13 estagiários em ABAP, e existia uma certa competição informal (e amigável) entre a gente. Isso nos motivou muito a aprender, para que ninguém ficasse para trás em relação aos colegas. Já o ABAPZombie começou bem depois, em 2010, junto com o Mauro Laranjeira. Era para ser um site de dicas simples, mas aos poucos o site foi crescendo.

3 – Existe muita procura por profissionais que trabalham com ABAP no teu país?
Existe MUITA procura, principalmente porque o povo diz que é muito fácil trabalhar com SAP, que rende rios de dinheiros. Mas ninguém diz o quanto é difícil ingressar na área, manter-se num emprego bom, e em uma posição boa.

4 – Como se processa a contratação dos profissionais de ABAP no teu país?
Existem muitos PJs por aqui, desenvolvedores que tem a sua mini-empresa, e prestam serviços para consultorias e clientes. As leis trabalhistas brasileiras estão mudando constantemente na área de TI, e hoje em dia muita gente trabalha no regime CLT, que é uma contratação direta do profissional, como é feito na maioria das empresas de outros setores.

Existe um popular meio de contratação chamado de “CLT Flex”, que é um meio de contratação muito novo, onde a empresa paga um valor “formal” pequeno, e o resto do salário “por fora”, como propriedade intelectual. Eu, particularmente, odeio essa última forma de contratação, pois o profissional é prejudicado em diversos sentidos. É uma pena que essa forma de contratação seja tão comum hoje em dia no Brasil.

5- Quais as maiores dificuldades que enfrentas no mercado ABAP do teu país?
De longe, o despreparo das pessoas relacionadas ao mundo do SAP. Por conta da alta demanda e a baixa quantidade de profissionais, é relativamente fácil para alguém com um bom conhecimento estabelecer uma nova empresa, com alguns funcionários. Porém, essas empresas não tem estrutura, e acabam prejudicam trabalhores e clientes.

6 – Vocês possuem alguma comunidade específica de programadores ABAP?
Não é algo formal, mas nós do ABAPZombie, a galera do ABAP101, alguns SAP Mentors e membros do SCN sempre nos encontramos para fazer algum jantar e conversar. Temos também o evento brasileiro da comunidade SAP, o “SAP Inside Track”, que no ano passado foi feito em 4 diferentes estados. A comunidade está se unindo, e é muito legal saber que o ABAPZombie contribui neste sentido.

7 – Quais as principais dificuldades que um novato encontrar para começar a trabalhar com ABAP no Brasil?
Entrar no mercado, de fato. Se você não entrar por seleções acadêmicas (meu caso), é bem difícil. Não que a seleção em faculdades seja fácil, mas quando você está na faculdade, qualquer emprego que conseguir é bem vindo. Porém, quem paga a acadêmia de ABAP por conta própria, pode gastar um grande valor e não conseguir um retorno tão rápido.

8 – O mercado dá hipóteses para o profissional trabalhar com outras tecnologias SAP, ou é difícil conseguir aprender coisas novas?
Sua grande chance de aprender algo por aqui é estar em um cliente que precise de algo novo. Do contrário, é bem difícil conseguir incentivo das empresas em aprender outras tecnologias SAP. Ou você paga do próprio bolso, ou espera aparecer alguma oportunidade com o cliente. Aprender algo novo por conta própria é possível, mas é trabalho árduo, e muita gente desiste no meio do caminho. E para piorar, a América do Sul sofre muito com importações do exterior, e o acesso a livros da SAP Press é bem escasso.

9 – A certificação ABAP faz diferença para as contratações?
Nenhuma. Para efeitos de contratação, a certificação ABAP é praticamente descartável aqui no Brasil. A experiência fala infinitamente mais alto.

10 – Quais são os maiores sites para troca de experiência de programadores no Brasil?
O maior e melhor site de ABAP do Brasil é, de longe, o ABAP101. Eu sempre menciono o trabalho deles, e faço isso porque sei o quanto é difícil manter um site atualizado por tanto tempo. Admiro muito o trabalho do Furlan, do Fábio e da Cláudia, e espero que o ABAPZombie possa manter-se no ar atualizado por tanto tempo quanto o ABAP101. É engraçado porque eu acessava o ABAP101 quando eu ainda era um estagiário, quando nem sonhava em ter o ABAPZombie!

11 – Obrigado pela entrevista! Deixa os teus comentários e contactos para os leitores poderem entrar em contacto.
Obrigado nada, eu é que agredeço, afinal, você respondeu primeiro lá para o ABAPZombie :P . O Abapinho também é um grande site, sempre acompanho as postagens!

Para quem quiser falar comigo, a melhor maneira é pelo meu Twitter http://twitter.com/mrc_cruz ou pelo meu e-mail . Vocês também podem acessar o ABAPZombie, e mandar um mensagem pra gente pela área de Contatos. Também estou compartilhando alguns código ABAP na minha página do Github! https://github.com/mauriciorcruz/ABAP-Toolbox Entre lá e compartilhe seus códigos também! :)

Um grande abraço a todos, e valeu Nuno!

Mauricio Roberto Cruz


Leste? Elucidaste-te? Espero que sim. E se isto não te chegou e ainda queres mais, faz perguntas ao Maurício nos comentários.

O Abapinho saúda-vos.

7 comentários a “Entrevista a Mauricio Roberto Cruz do ABAPZombie”

  1. Custodio Diz:

    Boa entrevista. Nao conheco o Mauricio, mas conheco muitos que o conhecem (como todos nesse nosso “mundo SAP”), e o cara eh firmeza, como dizem no Brasil.

    Nuno, voce poderia aproveitar e fazer uma propagandazinha do SITSP, nao?

    Abraco

  2. Mauricio Cruz Diz:

    Agradeço novamente (agora publicamente!) o Nuno pela entrevista. Nem esperava que ele fosse pedir para eu responder as mesmas perguntas que fiz para ele (jogada de mestre!!). Fico feliz que nossos sites se correspondam :)

    E pô Custódio, eu tb conheço mta gente que te conhece, além de conhecer vc pelos comentários e discussões do ABAPZombie! Quando estiver aqui pelo br, avisa o pessoal “intermediário” e marcamos algo com toda a galera!

    Abraços !

  3. admin Diz:

    Pois é Mauricio, ainda tentei pensar noutras perguntas mas a verdade é que as tuas perguntas foram tão boas que achei pateta fazer-te outras só pela necessidade de inventar novas. Como se diz no mundo do rap, plagiar é elogiar :)

  4. Alexnadre Manoel da Silva Diz:

    Boa noite, bom queria aproveitar e fazer uma pergunta para vocês que são experts em ABAP.

    Bom eu atualmente trabalho com o COBOL. Programador COBOL, mas o ABAP me chama a atenção até porque ja trabalhei com suporte numa empresa de telecomunicação e pude utilizar um pouco esse sistema.

    A pergunta é a seguinte. Queria saber de vocês se para eu migrar do velho e bom COBOL para o ABAP se eu sentiria muita diferença. Pelo que eu vi o ABAP é estruturado, é separado por pequenos módulos e por ai vai.

    Bom deixo minha dúvida e ja agradeço pela atenção.

    Abraços

  5. admin Diz:

    Olá, eu não conheço COBOL. Diria no entanto que a dificuldade maior no ABAP não está na sintaxe mas sim onde obter os dados e o que fazer com eles. O SAP é um sistema que contém a Via Láctea e todos os dias te anunciam a descoberta de novas estrelas que te pedem para explorar. Trabalhar em ABAP não é algo que se aprenda em livros ou cursos. Só a experiência práctica em sistemas reais te permitirá aprendê-lo. E demorará sempre alguns anos antes de poderes sentir-te minimamente experiente.

  6. Custodio Diz:

    Dizem os ancioes que a sintaxe do ABAP “classico” (ou “das cavernas” como alguns preferem) eh ate parecida com COBOL. Inclusive, quando comecei minha carreira em ABAP, boa parte dos desenvolvedores eram oriundos de COBOL. Mas hoje usa-se (ou deveria-se usar) muito ABAP Objects, entao talvez voce tenha um pouco de dificuldade para incorporar isso tambem. Claro que com estudo, dedicacao e boa vontade isso se resolve.

    No mais eu concordo com o Nuno (apesar que sei de alguns que se consideram ABAP SR com 1 ano de experiencia…)

  7. Deuzemaizz Diz:

    Conheci cobol na faculdade….não acho que seja tão parecido com ABAP não.

Deixe um comentário


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).