"
Etiqueta > salv
Apoiado por

Relatório de consistência da SALV

Às vezes uma SALV pode ter inconsistências que passam despercebidas a quem as programa. Um exemplo é uma estrutura com um campo WRBTR sem um campo de moeda associado:

Ler o resto do artigo! »

Boas prácticas
Usarás sempre uma estrutura pré-definida nas ALVs

É comum encontrar as estruturas de dados das ALVs declaradas explicitamente no código. Quando isto é feito, o catálogo de campos tem de ser criado manualmente. Se em vez disso se usar uma estrutura pré-definida (do DDIC ou como TYPE), o catálogo de campos pode ser criado automaticamente. Esta abordagem é sempre melhor resultando em menos código, mesmo que o catálogo de campos tenha de ser reajustado aqui e ali.
https://abapinho.com/en/2011/12/automatizar-catalogo-alv/

Boas prácticas
Usarás a SALV em vez das antigas funções de ALV

As classes SALV são mais versáteis e sofisticadas do que os antigos módulos de função. Portanto, para ALVs novas, usa sempre a SALV. Excepção feita para ALVs que precisem de editar os dados pois nesse caso as SALV ainda são muito pouco capazes.
http://scn.sap.com/docs/DOC-10365
http://scn.sap.com/docs/DOC-10366

Exemplar exemplo de SALV

A não ser que queiras fazer edição dos dados, a única forma digna de usar ALVs nos dias que correm é através das classes SALV. São mais modernas, mais elegantes e permitem a quem as usa alcançar um estatuto social até aqui apenas ao alcance daqueles que são donos de uma matrícula de carro.

Ler o resto do artigo! »

Roubar o conteúdo de uma SALV

Um amigo de um amigo de um amigo disse que um amigo dele conhecia um amigo que, num bar de alterne ali nas docas, lhe explicou como roubar os dados a uma SALV.

Ler o resto do artigo! »


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).