"
Etiqueta > segredo
Apoiado por

De quantos includes é feita uma classe?

Por muitas voltas que eles dêem no ABAP, acaba tudo por ir dar à SE38. Até os métodos das classes ABAP são guardados em includes.

Às vezes quando há um dump diz que o problema está, por exemplo, aqui: CL_MESSAGE_HELPER=============CM001.
Ler o resto do artigo! »

Tornar a prender uma ordem de transporte liberada

Liberaste uma ordem de transporte porque achavas que estava tudo pronto. Mas afinal ainda faltava fazer mais uma pequena modificação. E agora vais ter de criar uma nova ordem e transportar as duas. Que grande chatice.

Calma.
Ler o resto do artigo! »

Escrever em muitas linhas ao mesmo tempo

O editor de ABAP tem coisas que não lembram ao diabo.
Até dá para escrever ao mesmo tempo em várias linhas.

Ler o resto do artigo! »

Matemática problemática

Sabes a diferença entre um mistério e um enigma? Num enigma sabe-se que há uma solução mas esta não é conhecida; já num mistério, não se sabe se haverá solução.

Concordas com isto?
5 * 3 / 10 = ( 5 * 3 ) / 10 = 5 * ( 3 / 10 ) = 1.5

Se não concordas, devias concordar porque é um facto matemático.

Mas vamos lá fazer umas experiências.

Ler o resto do artigo! »

SELECT comparando 2 campos da própria tabela

Esta dica é simples e rápida mas aposto 200$482 em como poucos a sabem.

Ler o resto do artigo! »

Roubar o conteúdo de uma SALV

Um amigo de um amigo de um amigo disse que um amigo dele conhecia um amigo que, num bar de alterne ali nas docas, lhe explicou como roubar os dados a uma SALV.

Ler o resto do artigo! »

Comando /HS

Todo os funcional, até o mais funcional dos funcionais, sabe que para começar a depurar (vá, a fazer debug a) um programa ABAP se usa o comando /H. Mas raro será o programador, mesmo o mais programador dos programadores, que saberá para que serve o comando /HS.

Ler o resto do artigo! »

Salta a parede

Baixa a música.
Fecha a porta.
Olha à volta.
Está alguém a olhar para ti?
Não estás a ser observado?
Nem câmaras de vigilância?
Então, podemos continuar.

Ler o resto do artigo! »

Parâmetros complexos em funções remotas

As chamadas a funções remotas (por RFC) não suportam parâmetros com estruturas complexas (deep structures). Por outras palavras, se algum dos parâmetros tiver uma estrutura em que um dos seus campos seja outra estrutura ou uma tabela interna, azar, não dá.

Desistes? Não desistas. O Abapinho dá-te a solução: serialização.

Ler o resto do artigo! »

Ó Tempo Volta Para Trás

“Ó tempo volta para trás
Dá-me tudo o que eu perdi
Tem pena e dá-me a vida
A vida que eu já vivi
Ò tempo volta p’ra trás
Mata as minhas esperanças vãs
Vê que até o próprio sol
Volta todas as manhãs” – António Mourão

Ó Tony, é para já. Vou mostrar-te como podes voltar atrás no tempo.

Ler o resto do artigo! »

Como sabotar tabelas

Mais um artigo em auxílio dos que buscam a subversão subreptícia. Espiões, reparem como editar uma tabela que não pode (e provavelmente não deve) ser editada. Apresento-vos 3 técnicas. A primeira já caducou há anos, a segunda está em vias de caducar e a terceira vamos ver quando caducará.

Ler o resto do artigo! »

Quando a tabela interna não é estruturada

Quando queres seleccionar linhas numa tabela interna normalmente fazes algo assim:


DATA: BEGIN OF itbl,
            campo1 TYPE c,
            campo2 TYPE c,
          END OF itbl.

READ TABLE itbl WITH KEY campo1 = 'X' campo2 = 'Y'.

LOOP AT itbl WHERE campo1 = 'X' and campo2 = 'Y'.
  COISO.
ENDLOOP.

Mas, e se a tabela não for estruturada e quiseres pesquisar na linha como um todo? Bem, nesse caso, fica aqui a dica: usas a palavra especial TABLE_LINE:


DATA: itbl TYPE STANDARD TABLE OF string,
            wa LIKE LINE OF itbl.

READ TABLE itbl WITH KEY table_line = 'X'.

LOOP AT itbl INTO wa WHERE table_line = 'X'.
  COISO.
ENDLOOP.

(Obrigado a Aaron Escobar pela foto.)

O Abapinho saúda-vos.

Cria variantes de teste em funções a partir do debugger

Imagina que estás a fazer debug de uma transacção e entras numa função e encontras algo interessante. Tão interessante que tens de lhe fazer debug várias vezes. A via convencional é tornar a iniciar o debug da transacção desde o início. Que seca.

Mas há uma via mais directa. Quando estás a fazer debug de uma função podes, directamente a partir do debugger, criar dados de teste para essa função com os valores com que a função tiver sido chamada nessa instância. É assim:

Ler o resto do artigo! »

O histórico do SAPGui não funciona ainda que activo?

Já te aconteceu o SAPGui não guardar um histórico dos valores que vais introduzindo nos vários campos ainda que, nas configurações, a opção de Histórico esteja activa?

Ler o resto do artigo! »

Debug em janelas de diálogo modais

Há determinados momentos em que não é possível fazer /H para iniciar o debugger. O caso mais comum é durante uma janela de diálogo modal (aquilo que os estrangeiros chamam de popup). Mas há uma forma simples, ainda que rocambolesca, para o conseguires:

Ler o resto do artigo! »


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).