"
Apoiado por

R3TR vs LIMU

Espatifaste o sistema produtivo: fizeste uma alteração a um método de uma classe (ou a uma função, vá). Outra pessoa faz outra alteração a outro método da mesma classe (ou a outra função do mesmo grupo de funções, vá) e grava-a num transporte diferente. Quando transportas as tuas alterações para produtivo descobres que a classe (ou função, vá) agora tem um erro de sintaxe porque as alterações tinham dependências. Descobres também que agora, e até resolveres este problema, todos os teus colegas funcionais te odeiam.

Uma forma de resolver o problema é ir à cata das outras alterações que foram feitas e transportá-las também. Corres o risco de demorar horas a passar as coisas aos bocadinhos, isto se não deres em doido antes.

Mas há uma forma mais simples e eficaz: transportar a classe toda.

E agora uma aulinha teórica sobre ordens transportes. Concentra-te:

As entradas no catálogo de objectos são constituídas por 3 partes:

  1. ID-Programa
  2. Objecto
  3. Nome do objecto

A primeira parte, o ID-Programa, normalmente é uma de duas coisas: R3TR ou LIMU. E é entendendo o que significa cada um que reside a diferença entre conseguires resolver o problema e tornar a ter amigos ou apontarem-te como culpado da falência empresa.

Quando crias uma classe (ou grupo de funções, vá) ela é registada no catálogo de objectos da seguinte forma:

R3TR CLAS ZCLXXXX (em que ZCLXXXX é o nome da classe)
R3TR FUGR ZYYYY (em que ZYYYY é o nome do grupo de funções)

Seja o que for que cries nessa classe (ou grupo de funções) enquanto não liberares esta ordem de transporte, mais nenhuma entrada será acrescentada à lista de entradas de catálogo da ordem de transporte.

Mas agora experimenta liberar este transporte e fazer uma alteração a um método ou função ou outra coisa qualquer dessa classe ou grupo de funções. Vais constatar que as entradas são agora do tipo LIMU:

LIMU METH ZCLXXXX AAAA (em que AAAA é o nome do método)
LIMU FUNC BBBB (em que BBBB é o nome do módulo de função)

Agora presta bem atenção à descrição do R3TR e do LIMU:

  • R3TR – Objeto total
  • LIMU – Sub-objecto do ambiente de desenvolvimento

Eureka! Aqui reside a solução para todos os teus problemas:

Sempre que estiveres com problemas por uma classe ou grupo de funções estar inconsistente em qualidade ou produtivo, basta criares uma entrada do tipo R3TR numa ordem de transporte com o nome dessa classe ou grupo de funções. Quando transportares a ordem terás a garantia de que a totalidade do objecto será transportada: no caso da classe, as implementações de todos os métodos bem como as declarações públicas, protegidas e privadas. No caso do grupo de funções, a implementação e definição de todos módulos de função bem como os includes associados.

Segue este conselho e rapidamente conseguirás recuperar os amigos que perdeste.

O único cuidado que tens de ter é garantir que todos os métodos ou funções que vais passar estão realmente prontos para passar para produtivo, para não arranjares num lado e estragares no outro.

Obrigado cobra_55 pela foto.

O Abapinho saúda-vos.

Um comentário a “R3TR vs LIMU”

  1. Sérgio Fraga Diz:

    Pelos menus do SAP:

    SE80 -> Inserir Pacote onde a classe se encontra -> Ir à dita classe -> Botão direito do rato -> Other Functions -> Write Transport Entry

    Cumprimentos
    Sérgio Fraga

Deixe um comentário


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).