"
Apoiado por

Programa a programação dos programas

Uma das coisas que distingue o homem dos restantes animais é o facto de ser capaz de pensar o pensamento.

Um pardal pode pensar “estou assustado, vou dizer piu piu piu” e, como consequência, quem estiver ao pé dele ouve “piu piu piu”.

Mas que se saiba nunca um pardal pensou “porque é que eu pensei em dizer piu piu piu por estar assustado?”. O que é uma limitação do caraças. Limitação que os seres humanos, para o bem e para o mal, não têm. Os seres humanos pensam sobre o pensamento. Pensam demais provavelmente (mas isso é conversa para outro blog). O ser humano pensa “olha um pardal” e logo a seguir pensa “olha eu a pensar em olhar um pardal” e logo a seguir pensa “olha eu a pensar que estou a pensar em pensar em olhar um pardal” e assim por adiante. Alguns até ficam eternamente presos neste ciclo (mas isso também é conversa para outro blog).

O SAP não é um ser humano mas também sabe fazer uns truques de introspecção.

Um deles usa a função RS_TOOL_ACCESS que permite aceder programaticamente a todas as ferramentas do ABAP Development Workbench. Por exemplo isto mostra uma classe em modo de visualização:


CALL FUNCTION 'RS_TOOL_ACCESS'
  EXPORTING
    operation           = 'SHOW' 
    object_name         = 'CL_GUI_FRONTEND_SERVICES' 
    object_type         = 'CLAS' 
    position            = 0
  EXCEPTIONS
    not_executed        = 01
    invalid_object_type = 02.

Se isto não é pensar o pensamento é o quê?

E há montes de operações disponíveis que não vou explicar aqui até porque nem todas são óbvias. Mas podes explorar o código da função, em particular o CASE operation a partir da linha 384.

Portanto, pelo menos teoricamente, juntando uns algoritmos genéticos mais uns de redes neuronais com mais uns pozinhos é capaz de se conseguir fazer o programa ZABAPER, que recebe como parâmetros de entrada uma especificação funcional e um prazo e gera sozinho todo o código necessário.

Obrigado Nuno Morais pela dica.

Foto: brewbooks via Visualhunt.com / CC BY-SA

O Abapinho saúda-vos.

Deixe um comentário


Acerca do Abapinho
O Abapinho é suportado pelo WordPress
Artigos (RSS) e Comentários (RSS).